siga o homoludens por email

UFMG EDUCATIVA: entrevista brinquedos e brincadeiras e formação da criança

FAZ ASSIM! CANTORIAS E BRINCADEIRAS INFANTIS

OUÇA AQUI AS PRIMEIRAS MÚSICAS DE NOSSO CD: produção: Claudio Emanuel, Marilza Máximo e Rogério Correia Direção Musical: Silvia Lima e Christiano Souza Oliveira

Faz assim!

Despedida/ Samba mais eu

territorio do brincar

sexta-feira, 10 de abril de 2009

Pesquisa revela que crianças de hoje brincam menos do que brincavam seus pais.

"O brincar faz das crianças adultos mais felizes!" Algum pai pode discordar desta afirmação? Certamente não. todavia por mais paradoxal que seja, a pesquisa realizada pela Ipsos Public Affairs para o Instituto Unilever/Omo
revelou contradições que atestam o abismo existente entre a visão do que é o universo lúdico ideal para as crianças e as projeções que os pais fazem para os seus filhos.

Apesar de 93% dos pais pesquisados concordarem com esta afirmativa, ao apontarem o que seria prioridade na vida infantil apenas 19 % das respostas colocam o brincar como prioridade, perdendo para a melhor qualidade do ensino nas escolas (56%) e atividades complementares como informatica e cursos de idiomas (32%).

A investigação começou em 2001 e foram realizadas entrevistas em 1014 domicílios, em 77 cidades em todo o pais, representando um universo de 31 milhões de pais e 24 milhões de crianças.

Outros resultados da pesquisa:

- 97% dos pais ouvidos pelo estudo apontam a TV, vídeos ou DVD no topo da lista das atividades realizadas pelas crianças;

-A primeira brincadeira que envolve atividade física só aparece no quarto lugar (andar de bicicleta, patinete, skate, patins, carrinho de rolimã);

- a escola é o local preferido que as crianças escolhem para realizarem suas brincadeiras; ainda assim outros espaços ainda permanecem como voltados para o brincar das crianças como o quintal e o quarto;

- 50% dos pais concordam com a possibilidade de reduzir o tempo de brincar de seus filhos;

- 97% dos pais acreditam que seu dever é preparar as crianças para o mercado de trabalho, adultos bem-sucedidos profissionalmente.

Uma questão me provoca neste estudo. Se os pais de hoje não valorizam o brincar de suas crianças e contribuem para a construção de uma infancia voltada para um adulto mais competitivo e preparado para o mercado de trabalho, talvez estejamos vislumbrando um futuro em que a vida nesta terra perca a beleza que tal prática proporciona hoje aos seus praticantes.

Conheça mais sobre a pesquisa: ela está disponível aqui no blog. acesse "pesquisas sobre a infancia". Um abraço...

Nenhum comentário:

Brincantes do Brasil: Entrevista com Lydia Hortélio by Almanaque Brasil

Brincantes do Brasil: Entrevista com Lydia Hortélio parte 2 by Amanaque Brasil