siga o homoludens por email

UFMG EDUCATIVA: entrevista brinquedos e brincadeiras e formação da criança

FAZ ASSIM! CANTORIAS E BRINCADEIRAS INFANTIS

OUÇA AQUI AS PRIMEIRAS MÚSICAS DE NOSSO CD: produção: Claudio Emanuel, Marilza Máximo e Rogério Correia Direção Musical: Silvia Lima e Christiano Souza Oliveira

Faz assim!

Despedida/ Samba mais eu

territorio do brincar

terça-feira, 22 de junho de 2010

História para todas as idades: a Mula

Quem acha que já ouviu muitas histórias sobre Mula Sem Cabeça ainda não ouviu tudo. E pra quem fala que mineiro ri de si mesmo até nos momentos de aperto precisa ler a história abaixo, um divertido "causo de assombração"
enviado por www.aletria.com.br


Caminho bonito é o que leva da Fartura até São Miguel do Anta. Estrada de terra. Bonita e com o chão vermelho que chega a refletir nos olhos. De cada lado arvores com mais de 10 metros de altura e que na copa se encontram e abraçam como casais em lua de mel.

Durante todo o dia quando se caminha por essas terras ouve-se silencio e calmaria, só quebrado pelos cantos dos passarinhos. E esses são muitos. Canário da Terra, Coleirinho, Sabiá, Tico-tico Mata Virgem, Merro, Curió, Bem-te-vi... Já quase chegando em São Miguel do Anta tem a ponte do Vivino no córrego da Fartura, com água batendo nas canelas e onde em dias de calor a molecada gosta de refrescar o corpo.

Porem toda essa beleza é encoberta pela noite, quando não se vê nem a luz da lua e a cantoria de passarinho é cortada pelo pio agourento de coruja e pelo ranger das arvores, que quando sopra o vento parece que vão cair na cabeça da gente.

Certa feita Seu Zé Otacílio teve que ir da Fartura pra São Miguel do Anta durante a noite, modo de comprar uns remédios para sua avó que estava meio perrengada. Era tempo de quaresma e por toda parte se ouvia caso de assombração.

Acompanhado pelo medo e por sua varinha de pau mulato, Zé Otacílio partiu a passos largos. De repente Zé Otacílio ouve ao longe o trotar de Cavalo e um assovio cortando o Silencio. Logo se lembrou da história que mais tinha medo, Mula sem cabeça. Lembrou que seu avô dizia que de Mula Sem Cabeça agente ouve três trotar. O primeiro a bicha está bem longe, o segundo ela já estava por perto e o terceiro é melhor nem escutar.

Zé Otacílio apertou um pouco o passo e seguiu em frente. Certo tempo depois ele ouve o segundo trotar. Arrepiado de medo ele lembra que seu avô dizia que para fugir de Mula Sem Cabeça era preciso esconder as unhas, fechar a boca modo de esconder os dentes e fechar os olhos. Por esse tempo ele estava passando pelas proximidades da Ponte do Vivino e resolveu esconder debaixo da ponte, já que água só batia nas canelas.

Assim o fez. Foi para debaixo da ponte colocou a mão nos bolsos, fechou a boca e os olhos.

De repente Seu Zé Otacílio sente que tem companhia. Sem coragem para abrir os olhos e tremendo de medo sente outra pessoa encostando-se nele com tremedeira e igual falta de coragem. Foi quando se ouviu o terceiro trotar e um assovio assombroso. E essa trotar foi logo acima da ponte. Mas passou e foi em direção a São Miguel do Anta. Deu até pra sentir o clarão do fogo que saia das venta da bichona.

Aliviado Seu Zé Otacílio tira as mãos do bolso, abre a boca e os olhos. Quando dá por si quem é que ta do seu lado? O Lobisomem!!!!! Seu Zé enche os pulmões de ar e exclama.
-Você também tem medo de Mula Sem Cabeça né rapaz...


História de Xibil, fonte: http://oscacarecos.blogspot.com:80/

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Ouça o cacuriá de dona Teté de São Luis do Maranhão

Pra completar a postagem sobre minha viagem a Imperatriz do Maranhão, localizei as duas musicas que apresentei na postagem. Jabuti e Jacaré poiô. É só clicar no linq abaixo que abre a pagina onde as encontrei. Ouça e aprecie. um abraço,
Cacuriá Dona Teté - Jabuti-jacaré.mp3

terça-feira, 15 de junho de 2010

II GRUPECI- Seminário de Grupos de Pesquisa sobre crianças e infâncias em setembro no Rio de Janeiro


08 a 10 de setembro -» Universidade do Estado do Rio de Janeiro [UERJ]

O GRUPECI, Seminário de Grupos de Pesquisa sobre Crianças e Infâncias, tem por objetivo promover e ampliar o diálogo entre as diferentes áreas de conhecimento que têm como temática os estudos das crianças e suas infâncias. É um evento que se caracteriza pela interlocução entre grupos de pesquisa e pela apresentação de trabalhos de forma articulada no interior dos grupos.
Eixos temáticos para inscrição dos trabalhos:

1. Concepções de Infância
2. Infância e Tecnologias
3. Práticas Escolares e Infâncias
4. Políticas para a Infância

Saiba mais como participar pelo site: www.gpime.pro.br/grupeci

Envio de trabalhos até 30 de junho.

CD FAZ ASSIM: Grupo Sapitucas: Convide nosso grupo para brincar em sua escola!

Estamos divulgando nosso CD FAZ ASSIM! cantorias e brincadeiras infantis.
faz assim! contatos: divulga.cd.fazassim@gmail.com. Marilza ou Rogério.

No repertório muitas brincadeiras coletadas nas mais diferentes regiões de Minas Gerais, brincadas por crianças de várias gerações:

Periquito maracanã,
abre a roda tindolêlê,
Passariquinho,
Farinhada
Cipozinho
cantigas de versos...

Tivemos o cuidado de trazer para o publico brincadeiras que marcassem pela diversidade de ritmos, pela beleza e pelo encantamento. E pela novidade, já que muitas delas ainda não haviam sido gravadas. Elas fazem parte de nosso trabalho como brincantes. As professoras e as crianaçs nos ajudaram a escolhê-las. Demos as músicas um pouco da marca cultural de nossa região, da forte e envolvente cultura negra, da linguagem do tambor.

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Brincando em Imperatriz, Maranhão


Olá, No inicio desta semana estive pelo Projecta em Imperatriz, no Maranhão. À beira do rio Tocantins, sentimos um pouco a mudança brusca de temperatura (BH 18 graus, Imperatriz, 30). Lá trabalhei junto com Valentina e outras professoras (Janice, Marilia, Edir, Kátia) com oficinas de jogos e brincadeiras. Foi também um momento importante de trocas com as professoras da Educação Infantil do Município. Aprendi algumas das brincadeiras da região ao rítmo do Cacuriá e uma de suas ilustres divulgadoras da cultura Maranhense, dona Teté. Outras musicas como Farinhada, Xep-Xep, Massariquinho, também fazem parte do repertório dos maranhenses assim como aqui em Minas Gerais. Fiquei encantado com o ritmo e a ginga das professoras quando brincavam. Na manha do segundo dia fizemos uma grande Kizomba no pátio da escola, reunindo todas as professoras que participavam do encontro. Vai aqui duas letras de musicas e uma dica do cd de dona Teté.

JABUTI
Jabuti sabe lê, num sabe escrevê
Trepa no pau, num sabe descê
Jabuti sabe lê, num sabe escrevê
Trepa no pau, num sabe descê
Lelelele
lelelelelele

JACARÉ
Eu sou, eu sou, eu sou
Eu sou jacaré boiô
Eu sou, eu sou, eu sou
Eu sou jacaré boiô
Sacode o rabo, jacaré
Sacode o rabo, jacaré
Eu sou jacaré boiô

Cacuriá Dona Teté - Jabuti-jacaré.mp3

Divulgação do cd FAz Assim no Forum Mineiro de Educação Infantil

Olá,
Hoje participamos (eu, Marilza, Marlene e Claudio) da abertura do Forum Mineiro de Educação Infantil, na UNI-BH no Bairro São Cristovão em Belo Horizonte. Estiveram presentes representantes de várias prefeituras do Estado. Foi muito bom encontrar com o pessoal com quem trabalhamos há anos (Isa Terezinha, Monica Correia, Lívia, Dinéia, Rosalba, Mairce...) Pudemos apresentar um pouco das brincadeiras que estamos preparando para o nosso CD FAZ ASSIM! Divulgamos nosso cd-demo com 6 faixas de musicas já gravadas. Parece que o pessoal aprovou nosso trabalho! Ficamos contentes com isto. Agendamos algumas apresentações neste dia. Logo, logo estaremos apresentando nossa agenda aqui pra voces. Agradecemos o pessoal da prefeitura de BH por fazer a cobertura com as fotos e disponibilizarem pra gente no seu Blog. Um abraço,






quarta-feira, 9 de junho de 2010

Video do mês: racismo, auto estima e crianças negras

assista ao video clicando no título:



Eliza Kenneth Clark (1914/2005) e Mamie Phipps Clark (1917/1983) foram psicólogos afro-americanos e ativistas do Movimento dos Direitos Civis. Eles fundaram o Centro de Desenvolvimento Infantil Northside no Harlem, conhecido bairro de Nova York. Ficaram bastante conhecidos pelos experimentos realizados em 1940 utilizando bonecas para estudar as atitudes das crianças sobre a raça.

O teste consistia em exibir quatro bonecas para as crianças – duas eram negras e duas eram brancas -, e requeria-se que as mesmas atribuíssem às bonecas determinadas características: bonita, boa e má. Tanto em 1939, como depois em 1950 - quando Clark refez o experimento -, uma maioria esmagadora de crianças, tanto negras quanto brancas, atribuiu às características de boa e bonita às bonecas brancas e definiram como má às bonecas negras.

Consultado pelo governo norte-americano com relação a segregação entre crianaçs negras e brancas que existia nas escolas da época assim ele concluía: "para separá-los de outros da mesma idade e qualificações unicamente por causa da sua raça gera um sentimento de inferioridade quanto ao seu status na comunidade que possam afetar seus corações e mentes de uma maneira pouco provável de ser desfeita ".

Desde então o teste tem sido refeito mas os resultados continuam se repetindo. O teste foi refeito pela cineasta Kiri Davis apresentado no video ‘A Girl Like Me’ (2005). No Brasil também foram realizados testes semelhantes.



Video A girl like me: http://www.youtube.com/watch?v=q7wbm98i8r0
fontes:

Wikipedia

foto: http://abagond.wordpress.com/2009/05/29/the-clark-doll-experiment/

http://www.destaquenegro.com.br/artigosacadamicos.html

Brincantes do Brasil: Entrevista com Lydia Hortélio by Almanaque Brasil

Brincantes do Brasil: Entrevista com Lydia Hortélio parte 2 by Amanaque Brasil